280: Um Moralista Poético.

Jesus era conhecido pela sua amabilidade, a sua paciência e a sua indulgência. E era extremamente intuitivo; desagradava-lhe o legalismo e a lógica grave e séria, preferindo as chispas de percepção e poesia que lhe iluminavam o discurso, transformando as suas frases em sequências de joias brilhantes. Ora, estas características eram muito pouco masculinas; Jesus recorria mais às emoções do que à razão para comunicar determinada doutrina, o que constitui um traço principalmente feminino, não sendo aquilo que as mulheres esperavam de um pregador, e isso era uma das coisas que agradava às mulheres. Jesus ensinava, explicando coisas difíceis de entender de forma interessante e luminosa, por meio do recurso a imagens da vida corrente e do trabalho. Era um moralista, mas era um moralista poético.

(Paul Johnson, Jesus. Uma Biografia Escrita por um Crente. Lisboa: Alêtheia, 2011, p. 111).

Anúncios
280: Um Moralista Poético.

278: Sweet Dreams.

Oh, the terrible struggle that I have had against sleep so often of late; the pain of the sleeplessness, or the pain of the fear of sleep, and with such unknown horror as it has for me! How blessed are some people, whose lives have no fears, no dreads; to whom sleep is a blessing that comes nightly, and brings nothing but sweet dreams.

(Bram Stoker, Dracula. New York: Modern Library, 1897, p. 145).

278: Sweet Dreams.

276: Not Qualified.

A young man is not qualified to be a student of Politics; for he lacks experience of the affairs of life, which form the data and the subject-matter of Politics.

Further, since he is apt to be swayed by his feelings, he will derive no benefit from a study whose aim is not speculative but practical.

But in this respect young in character counts the same as young in years; for the young man’s disqualification is not a matter of time, but is due to the fact that feeling rules his life and directs all his desires. Men of this character turn the knowledge they get to no account in practice, as we see with those we call incontinent; but those who direct their desires and actions by reason will gain much profit from the knowledge of these matters.

(Aristotle, The Nicomachean Ethics. London: Kegan Paul, Trench & Co., 1886, pp. 4–5).

276: Not Qualified.

274: Não Necessariamente Conhecemos a Língua Original.

Não apenas uma, mas três vezes já fiz parte do júri do mais conceituado prêmio do Brasil na área de tradução literária, o Jabuti. Cerca de três meses antes de cada uma dessas premiações, recebi uma caixa com quase 50 livros. […]

Mesmo assim, como dar conta de lê-los todos, com uma vida já cheia de compromissos na universidade, aulas, dissertações e teses de mestrandos e doutorandos, leituras para fazer, artigos para escrever, pareceres para entregar, congressos para organizar, e uma infinidade de outras atividades? […]

Todas as vezes me arrependi de aceitar a tarefa. Logo em seguida, surgia o dilema: conseguirei ler todos ou, pelo menos, uma boa parte dos livros enviados? Claro que não!

Então que fazer? Primeiro, eliminar alguns e separar possíveis vencedores. Eliminar “os mais fracos” significa, na prática, cortar as chances de premiação a traduções de livros curtos em prosa, de escritores desconhecidos, os que foram feitos em um prazo curto demais, histórias em quadrinhos, auto ajuda. Em outras palavras, “os menos sérios”. Junto a outros dois membros do júri, eu precisava apresentar uma lista curta de finalistas com apenas dez títulos para o julgamento final.

E o que entra nessa lista final? As traduções dos “grandes”. No caso da premiação de obras originalmente publicadas em inglês, Shakespeare, Chaucer, Henry James e a agora muito traduzida no mercado Virginia Woolf, que caiu em domínio público. E lemos tanto as traduções quanto os originais? Se tivermos tempo, talvez. E cotejamos as traduções com os originais? Isso exige muito tempo — e não necessariamente conhecemos a língua original.

(John Milton, “Quando o Tradutor Vence Como Escritor — e Vice Versa,” Gazeta Russa, 16 de Janeiro de 2016).

274: Não Necessariamente Conhecemos a Língua Original.